EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO MUNICÍPIO DE PORTO LUCENA
Situado às margens do Rio Uruguai, Porto Lucena nasceu da constituição de um núcleo populacional nos idos de 1900. Este núcleo surgiu em função das atividades comerciais que eram exercidas na época via Rio Uruguai e a comercialização da erva mate e das essências nativas para São Borja, Itaqui e Uruguaiana. Com a intensificação do movimento colonizador, se solidificou.

A denominação “PORTO LUCENA” está ligada ao primeiro morador da localidade. A tradição oral assegura que na época do desbravamento existia no local um habitante de descendência indígena, conhecido por Índio Lucena. Consta ainda, que os barqueiros da época, quando atingiam esta localidade, navegando pelo Rio Uruguai usavam uma expressão “VAMOS ATRACAR NO PORTO DO LUCENA”. Isto contribuiu decisivamente na escolha do nome deste município. O nome anterior era Pedro Álvares Cabral e posteriormente Porto Lucena.

A colonização projetada sobre o atual território do município, decorreu das levas de imigração que se expandiu a partir dos núcleos coloniais de Cerro Largo, Guarani das Missões e posteriormente Campina das Missões. Por outro lado, elementos humanos provindos da República Argentina fixaram-se nesta zona limítrofe. O maior fluxo de colonos deu-se, no entanto, a partir do final da década de 1920. Eram em geral colonos de descendência polonesa, italiana e alemã. Em 1891 registrou-se a vinda de Suecos, que aqui se estabeleceram. No dia 24 de Maio de 1991, foi comemorado o centenário da Imigração Sueca no Sul da América em Porto Lucena com a edificação de um monumento referencial a data.

O município de Porto Lucena, todo ele tem uma leve inclinação no sentido Rio Uruguai - leste/oeste. Suas terras pertenceram, sucessivamente, a Porto Alegre, Rio Pardo, Cachoeira do Sul, Cruz Alta e a partir de 1837 a Santo Ângelo. Em 1915 foi criada a Colônia de Santa Rosa, quando imensas levas de elementos germânicos, procedentes das Colônias Velhas, chegaram a região provocando uma legítima explosão demográfica na região Noroeste do Estado.

Em 1931, Santa Rosa subiu a categoria de município e pelo Ato Municipal nº 73, de 30 de Julho de 1932, foi criado o Sexto Distrito de Santa Rosa, com sede em Porto Lucena.

Na trilha dos anos, o Sexto Distrito florescia esplendidamente e a riqueza facial era a madeira (cedro, ipê, louro, angico e pau-ferro). A agricultura desenvolvia-se como cultivo do milho, fumo, feijão preto, linhaça e mais tarde a soja.

Com o crescimento demográfico, o desenvolvimento sócio-econômico e os movimentos emancipacionistas se fizeram sentir, inclusive, no Sexto Distrito.
No entanto, a Lei Estadual 2.665 criou o município de Porto Lucena, no dia 06 de Agosto de 1955, cuja instalação deu-se em 1º de Janeiro de 1956.

A exemplo de outros municípios fronteiriços, Porto Lucena passou a fazer parte da Área de Segurança Nacional a partir do golpe militar de 1964 por 21 anos, ou seja, até 1985, quando o prefeito era nomeado pelo Governo do Estado, sendo eleitos, apenas, vereadores.
PONTOS TURÍSTICOS
Banhado pelo Rio Uruguai, na sua Fronteira com a Argentina tem nele a sua grande atração. Destaca-se a Ilha Grande, na Linha Uruguai, com mais de 6 Km de extensão e suas corredeiras. As Ilhas do Comandai, na divisa com o município de Porto Xavier.

A cidade possui visão panorâmica do Rio Uruguai. Ao longo das margens do Rio Uruguai, do Comandai até o Amandaú (Boa Vista), inúmeros acampamentos estão edificados e oferecendo condições para o lazer e pesca.

Destacam-se ainda, o Parque Marinha do Brasil, com pista de Rodeio e o Pavilhão, o Funil - prédio edificado junto ao Porto e próximo da Prainha, outra atração no verão, tudo às margens do rio. Ótimo local para acampamento e eventos.

Visão panorâmica e de rara beleza se tem da Pôr-do-Sol Piscina Clube de nossa cidade, de onde se admira o pôr-do-sol, o Rio Uruguai, as ilhas do Comandai e a República Argentina.

A praça D. Felipe de Nadal se constitui referência e abriga monumentos como: Centenário da Imigração Sueca do Sul da América (visitado anualmente por suecos da América e da própria Suécia); Carta Testamento de Getúlio Vargas e Bíblia Sagrada. Localizada no centro da cidade, defronte à Igreja Matriz, é local de eventos cívicos, culturais e de manifestações populares.

Na área territorial do município e em toda a sua estrutura, encontram-se inúmeras atrações capazes de encantar aos visitantes. Como exemplo, podemos destacar a Trilha Ecológica, localizada na Comunidade Ouro Verde, distante 5 Km da cidade, com extensão de 1.800 metros com paredões de rochas, cavernas, mata nativa, frutas, animais silvestres e muita água.